sexta-feira, 3 de setembro de 2010



Hoje, em uma quinta-feira chuvosa pra pior, foi um dos dois dias mais horriveis da minha vida
além de nao poder sair de casa, por boatos de haver um estrupador a solta, tive que aguentar
meu tédio firme e forte, só que hoje era diferente, eu estava sozinha . 
Minha mãe dormindo, meu pai havia saido, o que restava de mim? meu coração partido, e o meu cachorro que lambia meu rosto, em forma de carinho e naquele momento serviu para enxugar as lágrimas que na minha face migravam constantemente para o chão,
talvez aquelas lágrimas, eram de raiva de mim, por ter brigado com meu pai, o unico homem que é fiel a mim, e que realmente me ama, que jamais teria coragem de me trair e me maltratar, mass não digo maltratar em forma de bater, mais sim em forma de agressão ao meu coração, aquela briga só fez eu me sentir mais sozinha do que eu já estava, parece que meu mundo havia escurecido ou até mesmo acabado, não sei, acho que eu estou mais fragil
emocionalmente do que a alguns tempos atrás, eu nunca tinha chorado por uma briga de pai e filha, nunca, mais pelo menos esse não é um choro jogado fora, como aqueles que eu derrarei por meninos imaturos que um dia eu já gostei!
hoje, parece que tudo está mais confuso e no mesmo tempo tão decisivo, tenho medo de trocar o duvidoso pelo certo e me arrepender como eu sempre me arrependo, tenho medo de ficar sempre sozinha e nunca arrumar alguém pra mim,talvez eu até tenha alguém pra mim mas aquele que eu tenho não é exatamente o que eu quero, talvez eu deva tentar amar - lo mais eu tenho medo, realmente, muito medo, de o magoar como eu fiz com o outro, tenho medo de acontecer de eu nao consegui ama - lo e ter que dizer Adeus, e lá se vai o amor que ele tinha por mim e a amizade que agente tinha um pelo outro e em troca desses dois substantivos vem um substantivo impróprio a RAIVA, dai tudo conspira ao meu REfavor , tudo parece estar ao contrário, tudo parece estar errado, ou melhor talvez EU ESTEJA ERRADA, e na vida não é igual a desenhos, que podemos gritar " QUEM IRÁ ME SALVAR? " e virá não necessariamente o chapolim colorado pra nos ajudar, não é também como nos filmes que quando a mocinha está triste por não ter ninguém ela resolve ir com seu livro e sentar em um banco do metro, logo em seguida vem um lindo moço e pergunta qual o livro que ela lerá, e eles conversam por aproximadamente 30 minutos, e ele a paga um sorvete, eles dão risadas juntos, ela está suja no canto da boca de sorvete, ele faz gracinhas por causa do acontecido, eles se olham profundamente por 5 segundos e depois se beijam, e ai babau pra solidão da mocinha, ele passa a ligar todos os dias para ela, manda flores, e a dá um urso para nunca esquecer dele, trocam emails e sempre demanha ela acorda com uma mensagem do seu chapolim colorado numa versão brad pit, se a minha vida fosse um filme talvez
eu seria mais feliz, mas se eu vivesse em um filme, não poderia ter feito nada do que eu fiz, por que cada coisa que eu faço vale por uma vida e não por uma hora e meia ! 

1 coments!:

manuella camposelli disse...

minha érica arrasando como sempre u.u